Transformação

20-07-2021

Por vezes, não encontramos prazer nas coisas simples e temos tendência para as complicar. Há quem complique as coisas só por prazer porque sem conflito não se sente viva/o. Isso acontece ao nível das hormonas. A acção ocorre quando sentimos essas emoções internas que impulsionam, se não houver um contexto que force a produzir essas hormonas, então não haverá acção, não se agirá. As histórias que nos fazem sofrer, as que nos angustiam mobilizam-nos. É por isso que nos vitimamos... Vitimar-se é um mecanismo de prazer? Sim. Sentimos a energia a derramar-se sobre nós... Viver num drama constante gera uma sensação agradável no corpo que nos leva a procurar sensações dramáticas. Ao vitimar, a pessoa recebe amor, atenção, críticas (mas atenção no final...). Quando olhares e pensamentos se voltam para nós, há um certo prazer. É muito doentio, mas sim, quando nos fazemos de vitimas, recebemos energia, amor... É uma reação típica aos dados ocultos no inconsciente... Como sair deste "ciclo"? Um coração "proibido" não pode dar nem receber. É preciso transformar em coisas positivas para dá-las ao mundo. É preciso pegar no sofrimento e na dor e transforma-los em amor e prazer. Não se sai do sofrimento, transforma-se o sofrimento. Vem agarrar com as tuas mãos tudo o que está no teu inconsciente, escondido na dor e no sofrimento, e transforma isso em algo útil para o mundo. Pegamos no que dói e transformamos em prazer através da capacidade criativa de cada uma/um de nós. Soltar, largar é o mais difícil. Abandona sem medo relações, situações, experiências, vínculos, emoções. Deixa de lado o resultado da ação e permite-te renovar, recomeçando. Ressoando na vibração do coração, o amor, fazemos esta caminhada todas /os juntas/os e descobrimos o quanto temos em comum, de uma forma simples, leve e muitas vezes bem divertida.